Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
27/03/18 às 12h08 - Atualizado em 24/04/18 às 11h00

Árvore Digital chega a Taguatinga oferecendo wi-fi de graça na Praça do Relógio

COMPARTILHAR

Governo de Brasília quer inaugurar 20 árvores até junho em outras cidades

 

Foto: Cleverlan Costa

O Governo de Brasília inaugurou nesta terça-feira (27) a primeira árvore digital do DF. O equipamento está funcionando na Praça do Relógio, no centro de Taguatinga, oferecendo internet por sistema wi-fi em um raio de 240 metros para até quinhentas pessoas.

 

A intenção do Governo de Brasília é instalar cinquenta árvores digitais em todas as cidades do DF até o fim do ano, sendo 20 ainda no primeiro semestre. As árvores não custarão nada aos cofres públicos, pois serão bancadas por empresas privadas em troca de publicidade no local ou quando o usuário acessar o sinal, a exemplo do que já ocorre nos aeroportos. No caso de Taguatinga, a empresa que manterá o equipamento é o Sunkit, que é de São Paulo e trabalha com placas de energia solar, sistema que alimenta a árvore digital. A empresa decidiu apostar no projeto porque quer levar à população de Brasília seu conceito de sustentabilidade. “O wi-fi em si não tem tanto a ver com o conceito de sustentabilidade, mas oferecemos wi-fi às pessoas como atrativo para a energia solar, usada na árvore para recarregar computadores, celulares”, explica Robert Vanhsia, um dos sócios da empresa.

 

O secretário adjunto para Inovação, Ciência e Tecnologia, Tiago Jarjour, informou que o Governo de Brasília pensa em reduzir o alcance da banda para que a concentração de usuários fique no perímetro da Praça do Relógio. “Com o alcance atual, o sinal chega ao comércio em torno da Praça do Relógio. Como a capacidade de navegação é para 500 usuários, se a pessoa de número 501 tentar navegar, não vai conseguir”, explicou Jarjour. Ele comparou o programa que está sendo lançado a outros de wi-fi pública e gratuita e considerou que quinhentas pessoas navegando ao mesmo tempo numa praça é um número razoável. “Para um começo é um número bom. A gente pode analisar ajustes técnicos e quem sabe no futuro aumentar essa capacidade, admitiu Tiago Jarjour.  O adjunto esclareceu que as Árvores Digitais não chegam para substituir, em um primeiro momento, o Sinal Livre. Ele lembrou que o sistema anterior de banda larga pública e gratuita do Governo de Brasília está sendo analisado pelos órgãos de controle e qualquer iniciativa em relação a ele depende justamente do parecer desses órgãos.

 

O secretário Valdir de Oliveira disse que a inauguração da primeira Árvore Digital em Taguatinga sinaliza que o Governo de Brasília quer ampliar o polo de desenvolvimento da capital do país para além do Plano Piloto. “Mais de 50% das empresas do DF estão aqui, em Taguatinga. A economia é pujante aqui e nós precisamos trazer para cá esse eixo de desenvolvimento”, acredita o secretário.

 

Foto: Cleverlan Costa

Na inauguração estiveram presentes cerca de quarenta estudantes do Centro de Ensino Médio Escola Industrial de Taguatinga (CEMEIT), que fica nas proximidades da Praça do Relógio. “Massa!”, comemorou a aluna Kevanny Pacheco, do segundo ano, ao conseguir conectar o celular com o sinal da Árvore Digital. A colega dela, Amanda Fernandez, ficou contente porque o sinal na Praça poderá facilitar as pesquisas de escola. “Eu não tenho internet em casa, só no celular”, explicou, lembrando que com a Árvore Digital economiza seu pacote de dados. “E dá pra recarregar o celular aqui”, disse a estudante, sorrindo.

 

 

GALERIA DE FOTOS

Lançamento Árvore Digital Taguatinga