Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
22/03/18 às 15h12 - Atualizado em 24/04/18 às 11h02

Árvores digitais chegam ao DF como solução para wi-fi público

COMPARTILHAR

Primeiro equipamento será na Praça do Relógio, em Taguatinga

 

Protótipo da árvore digital

O Governo de Brasília inaugura na próxima terça-feira (27) a primeira árvore digital do Distrito Federal, equipamento que está sendo apontado como a solução técnica para a banda larga pública, depois que o próprio governo reconheceu que o projeto Sinal Livre, de wi-fi gratuito em vários pontos, não deu certo. A primeira árvore digital do DF ficará na Praça do Relógio, no centro de Taguatinga.

 

O equipamento de quatro metros de altura, e que tem este nome porque realmente parece uma árvore, custa entre R$ 25 mil e R$ 50 mil, mas o GDF não terá que pôr a mão no bolso para nada. As árvores serão bancadas por empresas interessadas em sua instalação e que poderão explorar, em troca, a publicidade, tanto de maneira concreta, com anúncios ao redor da árvore, quanto de maneira digital, quando o usuário acionar o wi-fi em seu smartphone, tablete ou computador. Essas empresas terão que seguir as regras de concessão e exploração previstas no Marco Civil da Internet, conjunto de leis que rege o setor.

 

Além do sinal de internet, a árvore digital oferecerá também iluminação pública, câmeras de segurança e tomadas para recarregar aparelhos eletrônicos, tudo funcionando com energia solar. “É um projeto totalmente sustentável, tanto na parte econômica quanto na parte tecnológica, trazendo benefícios para o cidadão e o turista, inclusive no quesito segurança”, aponta o subsecretário de programas estratégicos da SEDICT, Daniel Vieira Gurgel. Futuramente, a população poderá acessar as imagens das câmeras das árvores digitais pelo site da SEDICT. “Vai dar pra ver se está chovendo no local”, brinca Daniel.

 

O alcance de uma árvore digital pode chegar a um quilômetro, mas o GDF quer trabalhar com no máximo 200 metros, justamente para que nos pontos haja concentração de pessoas como forma de valorizar o local. A escolha pela Praça do Relógio para receber o primeiro equipamento faz parte, inclusive, da iniciativa do governo em revitalizar o ponto mais tradicional de Taguatinga. Lá, a velocidade prevista da internet será de 400 megas.

 

Árvores digitais já existem em São Paulo, Paraná e Bahia, mas não são tão modernas quanto as que chegarão ao DF. A meta do Governo de Brasília é instalar 80 dessas árvores em todas as cidades até o fim do ano, mas, segundo Daniel, o projeto todo prevê 400 árvores oferecendo banda larga gratuita por wi-fi a toda a população.