Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
24/04/18 às 12h03 - Atualizado em 24/04/18 às 13h23

Dinheiro do FCO começa o ano movimentando a economia do DF

COMPARTILHAR

Hospital vai melhorar atendimento graças a empréstimo da União

 

Foto: Cleverlan Costa

O Hospital Sírio-Libanês lança nesta quinta-feira (26) a pedra fundamental das obras de ampliação de suas instalações em Brasília. A nova unidade do Sírio – referência nacional em atendimento médico – funcionará em um prédio de 30 mil m² na L2 Sul. No local, o hospital terá disponíveis 144 leitos para internação.

 

De acordo com a instituição, a ampliação custará R$ 260 milhões. Desse total, R$ 202 milhões são dinheiro proveniente do Fundo Constitucional do Centro Oeste, o FCO, destinado a empréstimos e financiamentos para o desenvolvimento econômico dos estados da região e do Distrito Federal. Quando o empréstimo é superior a R$ 1 milhão, como foi no caso do Sírio e Libanês, é necessária a aprovação do Comitê de Financiamento à Atividade Produtiva do Distrito Federal, o COFAP/DF.

 

Instituído em 2013 e formado por 35 conselheiros do Governo de Brasília, da indústria, comércio, setor de serviços, agricultura e do Banco do Brasil e BRB, o COFAP voltou com força total em 2017 e de um ano para cá já autorizou o Banco do Brasil a conceder pouco mais de R$ 800 milhões em financiamentos (veja o gráfico), bem mais do que nos anos anteriores.

 

Esse dinheiro move a economia do Distrito Federal e do Entorno, gerando divisas para o estado e criando empregos para a população. A ampliação do Sírio vai gerar mais de 500 empregos diretos. “O crescimento das autorizações para operações de crédito do FCO do último ano é fruto do esforço de descentralização e agilização do Conselho. Quando se tem foco e comprometimento com o resultado, a consequência é atingir os objetivos, e foi isso que conseguimos no COFAP”, analisa o secretário Valdir Oliveira, presidente do colegiado.

 

Mas é claro que não é só a economia que sai ganhando. A população que precisa de atendimento também. “Pacientes de Goiânia e até do Nordeste não precisarão mais se deslocar para São Paulo”, diz o médico Gustavo Fernandes, diretor geral da nova unidade. Quem vier, por exemplo, de Salvador se tratar no Sírio em Brasília, encurtará em 600 quilômetros a viagem.

 

Em 2018, o FCO reserva ao DF cerca de R$ 1,8 bilhão. Para o empresário saber como pegar esse empréstimo e as condições de pagamento, o Banco do Brasil está promovendo, com apoio da SEDICT, encontros com a categoria (veja em nossa página no facebook).

 

A próxima reunião do COFAP está marcada para esta quarta-feira (25), às 15h.